"Roteiro" de alguns restaurantes portugueses

Bem, dos diversos restaurantes portugueses existentes em Macau, na Taipa e em Coloane, apenas fui a 5 ou 6.
São estes poucos que irão integrar este "roteiro" gastronómico. Sempre que me for possível, actualizarei este post.
É necessário ter em conta que não sou nenhum especialista em gastronomia. Aprecio e valorizo no entanto, um bom ambiente e um bom prato.

MACAU
No Porto Interior, na rua do Almirate Sérgio existem vários: o "A Lorcha", no n.º289; o "O litoral" no n.º261 o ou "O Porto Interior" no n.º259. Se não estou em erro, são todos geridos por chineses ou macaenses.
A comida é boa, apresentada de forma requintada e o ambiente não é mau.
São no entanto, restaurantes mais caros que muitos daqueles que encontramos em Macau.
Para quem gosta de uma certa classe, estes são o local indicado.

Mais para o centro, perto da Praça do Leal Senado, na Travessa de São Domingos, encontra-se o "Boa mesa".
O ambiente é mais descontraído, moderno e a comida é boa e bem apresentada.
Pedro, o proprietário, em Macau há 4 anos, é de Loures e abriu o restaurante há cerca de 6 meses.
O preço médio dos pratos ronda os 65 MOP (cerca de 6,5 Euros) e creio que, daqueles que conheço em Macau, este restaurante é o recomendado, tendo em conta os factores ambiente, preço e qualidade.

-------//-------

TAIPA
Na ilha da Taipa, logo à entrada da rua Fernão Mendes Pinto, no n.º90 (se apanharem o bus n.º11, n.º22 ou ainda o n.º33 de Macau, param mesmo à porta), encontra-se o "O Manel" ou "Manuel" (vem escrito das duas formas).
O local é pequeno e sempre cheio. É aliás frequente ter que esperar uns minutos para ter uma mesa livre.
Logo ao lado encontra-se o novo espaço, maior, para onde o restaurante irá transferir-se.
É um restaurante português em termos de ambiente. O sr. Manuel, o proprietário, falante do cantonense, tem também o cuidado de bem servir os seus clientes. Ah, as ameijoas são famosas!
Na foto está um bacalhau assado para 3 pessoas.
A comida é caseira e boa. O preço médio dos pratos ronda os 65 MOP (cerca de 6,5 Euros).

Na vila da Taipa encontram-se vários. Na rua do Cunha, está por exemplo, o "O Santos".
O sr. Santos é alentejano de Montemor-o-Novo e faz questão de o afirmar no seu estabelecimento.
Lá não encontrarão qualquer referência ao país onde realmente estão. Estamos na verdadeira tasca portuguesa.
Desde as mesas, às cadeiras, aos galhardetes, ao relógio de parede, aos ditados populares nos azulejos, enfim... tudo.
Até mesmo a clientela.
Se procuram a autenticidade, então o "O Santos" é o sítio certo.
A comida é boa, caseira, bem servida e a média dos preços ronda os 70/75 MOP (+/- 7/7,5 Euros).
O "O Santos" não aposta na apresentação, mas mais na qualidade (gastronomicamente falando) e o espaço de dois andares, é a tasca portuguesa que não deixa de ter o seu charme.

Desafio-os a experimentarem os dois que aqui refiro. A diferença reside no próprio ambiente.

-------//-------

COLOANE
Se querem ir até à ilha de Coloane, então vão à praia de Hac Sa.
Mesmo alí no parque de estacionamento, no n.º9 têm o "Fernando" (tornou-se uma mania por estas terras de dar o seu nome ao restaurante. No entanto, para quem não conhece os estabelecimentos, poderá ter a certeza de que um restaurante que tem como nome, um nome próprio português, estará num restaurante cujo proprietário é português).
O restaurante é grande, tendo duas salas. Muitos estrangeiros vão lá comer, nomeadamente, australianos, ingleses ou ainda japoneses. O ambiente é acolhedor, tipo casa rústica, e numa das salas encontra-se uma lareira (não que faça falta em Macau). Tem espaço exterior.
A comida é essencialmente a base de grelhados e é boa.
Na foto têm três diferentes pratos: iscas, entrecosto e bife com ovo a cavalo. Lamento, mas ainda antes de tirar a fotografia, já tínhamos comido alguma coisa...
O preço médio dos pratos também ronda os 65 MOP (cerca de 6,5 Euros).
A ter em conta que as empregadas são todas chinesas, sendo que uma ou outra serão filipinas. Se pedirem um sumo de laranja Sumol, tenham cuidado, pois em inglês "I want a orange juice SUMOL" a frase induz em erro. A "nossa" filipina trouxe efectivamente um sumo de laranja, mas um pequeno sumo... "a SMALL orange juice"... percebem?

Outra coisa importante, no "Fernando" não se aceita cartão de visa.

(post actualizado em 01 de Março de 2007)

1 comment:

Isabel said...

Lembro-me de ir ao Fernando quando vivia em Macau. Mas, frequentava pouco este restaurante por tês razões:

Está sempre cheio de gente, principalmente turistas.

Muito calor, dado não ter ar condicionado.

As janelas abertas propiciavam a entrada de alguns insectos que, ainda que inofensivos, não me faziam estar tranquila.

Mas, recordo as excelentes ameijoas e os camarões.

A história do Fernando é interessante, um dia vou partilhá-la convosco. Julgo que o Fernando é natural de uma das ilhas, não sei se dos Açores ou da Madeira.